domingo, maio 27, 2007

O tilintar das palavras e moedas


Assistir a um Festival de Dança do Ventre é uma das coisas que nunca pensei em fazer na vida, afinal, vivo em uma cidade de povo e tradições germânicas. Para minha surpresa, ontem tive a chance e o prazer de sentar por mais de duas horas enquanto moças se revezavam no palco entre fogo, lenços coloridos e miçangas.

Senti-me imóvel diante de quadris tão balançantes ao som de palavras que desconheço. Pensei no pouco que sei sobre a cultura árabe, no quanto as mulheres são desprezadas e no entanto, são também um símbolo de poder. Não sorriem muito, não dirigem a palavra a um homem olhando-o nos olhos, não mostram seus cabelos para outro que não seja seu esposo. Simbolizam o poder econômico de quem as vende, compra e coleciona.

As mulheres árabes são ensinadas desde cedo a serem submissas e agradar a quem lhes têm. Agradam aos seus donos com seus dotes domésticos, religiosos e corporais, que são vistos por entre véus coloridos e cultuam suas formas físicas no intuito de mostrar estão prontas para gerar outras vidas.

Eu, imóvel, de quadris duros e movimentos descoordenados, me vi entre elas, fazendo de meus pensamentos os véus que balançavam, minhas palavras tilintando como as moedas e miçangas em seus cinturões e minhas idéias eram a música ritmando cada passo. Me libertei. Vi o colorido se dissipando em emoções.

Entendi que enquanto algumas dançam, outras escrevem e se expressam da mesma maneira. Mostram sua verdadeira arma de conquista, como sentem o mundo e como desejam ser sentidas.

Em meu jeito árabe de ser, também faço questão de agradar de todas as formas a quem me ama, porém é preciso lhe olhar nos olhos e usar a submissão apenas como fetiche. Quero ser comprada com beijos incessantes e poder balançar meus cabelos enquanto caminho, mostrando a todos meu riso de felicidade e alguém que deseje tanto quanto eu os filhos que posso gerar.

Estar sempre entre meus véus, tilintando minhas moedas e atraindo quem se encante com os meus quadris, é minha forma sutil de performar uma dança do ventre e só quem tem um certo talento é capaz de reconhecer e apreciar.

2 comentários:

Biby Cletus disse...

Cool blog, i just randomly surfed in, but it sure was worth my time, will be back

Deep Regards from the other side of the Moon

Biby Cletus

Lígia Carolina disse...

Legal legaaall
Com certeza tens razão, porém, todavia, contudo... acho que era uma coisa que combinava bastante contigo: dança do ventre
há vários lugares aqui em Blumenau que oferecem aulas... nunca pensou sobre isso não?
Beijos